Portugal

O que visitar na Serra da Lousã

A Serra da Lousã, até outrora um lugar pouco conhecido, é uma verdadeira caixinha de surpresas e emoções. Quem visita sai de lá completamente rendido, quem ainda não foi não sabe o que está a perder (mas é para isso que cá estamos 😉).
A Serra da Lousã rima com aldeias do xisto, cascatas, riachos, praias fluviais, natureza intocada, trilhos, baloiços, gastronomia e muito mais.
Relativamente perto de Coimbra, a Serra da Lousã é o destino ideal para uma escapadinha em família ou com amigos. E desengane-se quem pensar que não há nada para fazer ou visitar. Por mais vezes que a visite, encontrará sempre lugares novos, trilhos ainda não explorados ou cascatas escondidas na vegetação. Assim sendo, deixamos aqui uma selecção do que visitar na Serra da Lousã.

Qual a melhor época para visitar a Serra da Lousã?

A verdadeira resposta à questão é: todas! Como temos a sorte de viver perto da serra, já tivemos o prazer de a visitar em todas as estações do ano, e a verdade é que todas elas são únicas.

Na Primavera a serra presenteia-nos com as cores das flores e as cascatas estão incríveis. No Verão, apesar de não correr o risco de chuvadas, prepare-se para ver mais pessoas e, por estar muito calor, não conseguir fazer alguns trilhos. Em contrapartida, é a melhor estação do ano para relaxar nas praias fluviais.

Já no Outono, a Serra da Lousã recebe-nos com as cores típicas da estação e a probabilidade de apanhar temperaturas mais baixas é maior. Ainda assim, é a altura ideal para observar os veados, uma vez que é a época de acasalamento. No Inverno, confessamos que não é a altura que mais gostamos de ir. A chuva, o nevoeiro e o frio impedem-nos de explorar melhor a região.

Aldeias do Xisto

As aldeias do xisto são um dos pontos altos da Serra da Lousã. No total são 12 das 27 aldeias que integram a rede das Aldeias do Xisto de Portugal. São elas:

  • Aigra Nova
  • Aigra Velha
  • Candal
  • Casal Novo
  • Casal de São Simão
  • Cerdeira
  • Chiqueiro
  • Comareira
  • Ferraria de São João
  • Gondramaz
  • Pena
  • Talasnal

Destas 12 falta-nos conhecer 5 delas (Aigra Nova, Aigra Velha, Comareira, Ferraria de São João e Pena). Fizemos a promessa de que, ainda este ano, voltaríamos para conhecer as que nos faltam.
Uma vez que moramos perto desta zona, nunca ficámos dias seguidos (exploramos em dias e alturas diferentes), mas saiba que é perfeitamente viável organizar um roteiro de dois ou três dias pela serra.

O Casal de São Simão é a que melhor conhecemos (vamos várias vezes ao ano) pois somos dessa zona. A aldeia de uma só rua, com várias casas recuperadas é o local ideal para respirar natureza. Há, inclusive, um trilho pedestre que o leva até às Fragas de São Simão, um dos sítios mais bonitos do Mundo (mas somos suspeitos, não é?! 😏). Pode ler tudo neste post.

Dada a proximidade, pode visitar o Talasnal, o Casal Novo e o Chiqueiro num só dia, e até fazer o percurso entre elas a pé.
O Talasnal é provavelmente a aldeia do xisto da Serra da Lousã mais conhecida. E tem razão de ser. Além de ser a maior é também uma das melhores preservadas, e claro, a mais turística. Percorra as ruelas estreitas da aldeia e atente aos pormenores deliciosos, como as cortinas coloridas rendadas. É aqui que se encontra o famoso restaurante Ti Lena.

Baloiço do Trevim: o baloiço mais famoso de Portugal

O Casal Novo, comparado ao Talasnal, é mais pequeno, mas nem por isso menos bonito. Na aldeia irá encontrar menos pessoas, certamente, tornando-se óptimo para perder-se nas ruelas e ouvir o som da natureza.

Quando chegámos ao Chiqueiro nem queríamos acreditar o que os nossos olhos viam. Estava deserta, com lixo e algumas casas em ruína. Não cheirava bem no local, o que também não ajudou a ficarmos mais tempo. De todas as que conhecemos, foi a que mais nos decepcionou.

Na mesma tarde visitámos as aldeias Cerdeira e Candal. Ficámos rendidos a ambas!

Se tivéssemos de apelidar a Cerdeira, diríamos que é mágica. Ao longe, avistamos numa encosta as casas de xisto escondidas entre o verde da vegetação e ficámos logo com uma vontade enorme de a desbravar.

No início da rua, numa placa podemos ler “Cerdeira – Home for Creativity”. Aqui a arte e a criatividade fundem-se. Além do mais, a aldeia está muito bem preservada e há até vários artistas que ali procuram inspiração!

O Candal é também uma das aldeias mais visitadas, uma vez que está estrategicamente localizada junto à Estrada Nacional que liga Lousã a Castanheira de Pera.

À entrada da aldeia encontramos a Loja Aldeias do Xisto onde, no rés-do-chão, se situa o famoso restaurante Sabores da Aldeia. A aldeia localiza-se numa encosta, mas não se deixe esmorecer pelos degraus. Vale (muito) a pena subir até ao topo da aldeia, onde se localiza um miradouro, que nos permite contemplar esta maravilha da natureza.

A última aldeia que visitámos foi Gondramaz, que pertence ao concelho de Miranda do Corvo. Está super bem conservada e muito bem arranjadinha. Achámos imensa graça aos nomes de algumas ruas, como Beco do Tintol e Largo dos Petiscos!

Castelo da Serra da Lousã

O Castelo da Serra da Lousã, também chamado de Castelo de Arouce, sobressai-se da densa vegetação, e é possível ver-se ainda da estrada.

O castelo é pequeno, hexagonal e usa estilos românico e gótico. Tem vindo a sofrer trabalhos de conservação ao longo dos anos, sendo já possível visitá-lo.

Praias Fluviais

Para além de paisagens naturais maravilhosas e um cenário tão verde que nos faz transpirar paz por todos os poros, o que poderíamos pedir mais? Praias fluviais, claro! Os locais ideias para nos refrescarmos nos dias quentes de Verão.

As principais praias fluviais da Serra da Lousã são a Praia Fluvial da Senhora da Piedade, a Praia Fluvial da Bogueira e a Praia Fluvial da Senhora da Graça. Das três acima referidas ainda só tivemos a oportunidade de conhecer a Praia Fluvial da Senhora da Piedade, que se localiza perto do Castelo da Lousã.

O espaço em si não é muito grande, mas dispõe de várias sombras e mesinhas para ali passar um belo dia.

Ali há também uma pequena cascata bastante fotografada, devido ao baloiço que ali se encontra!

Ainda na zona, recomendamos a visita às Praias Fluviais Poço Corga (na Castanheira de Pera) e ainda às Fragas de São Simão (em Figueiró dos Vinhos).

Um local que já nos falaram muito bem também, mas ainda não conseguimos ir, foi à Garganta Cabril do Ceira. Como vê, há imensos locais para relaxar e se refrescar 😀.

Cascatas na Serra da Lousã

Se é fã de cascatas, a Serra da Lousã é o local perfeito para se deslumbrar. Umas maiores que outras, é certo, mas todas têm o seu encanto.

Arriscaríamos a dizer que a que mais gostámos (que até nos deixou de queixo caído, devido à sua grandeza) foi a Cascata do Candal.

Localiza-se a cerca de 800 metros do Candal e o trilho não é muito fácil, mas no final compensa muito.
Leve roupa e sapatos adequados, bem como chapéu e água!

Uma outra zona que tem algumas cascatas é a Ribeira das Quelhas, perto da Castanheira de Pera, mais precisamente no Coentral. Dantes havia um trilho pedestre ao longo da margem esquerda da Ribeira das Quelhas, no entanto agora é possível fazer o percurso através de uns passadiços.

Baloiços da Serra da Lousã

A Serra da Lousã tornou-se num dos locais mais fotografados nas redes sociais. E muito deve-se ao facto dos baloiços espalhados por ali.
Baloiçar o nosso corpo no meio da natureza representa muito. Primeiro vem a excitação acompanhada de felicidade. E depois, sempre que damos mais impulso com os pés, o nosso corpo experimenta sensações como a tranquilidade, a leveza e a liberdade.

O Baloiço do Trevim é provavelmente o mais famoso de todos. O baloiço situa-se no Alto de Trevim, o ponto mais alto da serra da Lousã. Leia aqui o artigo que fizemos sobre ele.

Existe ainda outro baloiço, que não fica nada aquém das expectativas. Trata-se de um baloiço sobre a água na Praia Fluvial da Senhora da Piedade, nos Burgos. Aqui não se baloiça nas montanhas, mas sim em cima de água, sendo também uma experiência incrível.

Projecto “Isto é Lousã”

O projecto “Isto é Lousã” tem como principal objectivo mostrar o melhor que a região da Lousã tem para oferecer. Vai ter a oportunidade de ver imensos artefactos deste projecto na Serra da Lousã.

Um deles, talvez o mais famoso, como referimos em cima é o Baloiço do Trevim. Ainda assim é possível ver mais, muito mais.

No caminho que liga o Talasnal à vila da Lousã, vai poder contemplar a vista através de uma moldura. Isso mesmo, uma moldura feita em madeira.

Antes de chegar à aldeia do xisto do Chiqueiro vai ainda poder ver as famosas letras, também feitas em madeira, a dizer “Lousã”. O pano de fundo é a Lousã e é um excelente local para relaxar e almoçar, visto que tem um parque de merendas ali ao lado.

Percursos Pedestres

Se é adepto de caminhadas, saiba que na Serra da Lousã existem diversos percursos pedestres. Para facilitar, deixamos aqui o link dos vários caminhos.

Onde dormir

Existem diversos alojamentos na Serra da Lousã. O ideal será escolher o que melhor de adequa aos seus gostos e carteira. Nós reservamos sempre os nossos alojamentos pelo Booking e recomendamos. Sabia que se reservar os seus alojamentos através do nosso site não pagará nem um cêntimo a mais e ainda está a ajudar o blog? 🙂



Booking.com

Onde comer

“Se não és bom para comer, também não és bom para viajar”, costuma-se dizer. E saiba que na Serra da Lousã come-se (muito) bem. A gastronomia é de comer e chorar por mais. Deixamos então aqui algumas sugestões de restaurantes.

Ti Lena

Situa-se na aldeia do xisto do Talasnal e tem de fazer reserva. O ambiente é muito bonito e a comida, essa, é deliciosa!

O Burgo

O Burgo é um dos restaurantes mais famosos na serra. Quando lá for vai perceber o porquê! O melhor mesmo é fazer marcação antecipadamente, uma vez que está sempre cheio.

Localiza-se na Praia Fluvial da Senhora da Piedade e pode degustar vários pratos típicos, como chanfana, coelho frito, cabrito assado e javali com castanhas.

Sabores da Aldeia

Depois de explorar a Cascata do Candal, nada melhor que aconchegar o estômago aqui. O restaurante não é grande, mas come-se ali uma deliciosa chanfana!

Como vê, há muita coisa para fazer e visitar na Serra da Lousã. Gostariam de acrescentar algum local? Partilhem connosco nos comentários 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *