Bélgica

Dicas úteis sobre Bruxelas

Dicas úteis sobre Bruxelas

Bruxelas é a capital da Bélgica, e sempre foi um destino pela qual tinha grande curiosidade em visitar. Talvez o destino mais adiado nas minhas viagens, porque nunca me falaram assim tão bem dele. “Não há muito que visitar”, “É uma cidade europeia banal”, “É muito pequena”, foi o que ouvi dizer por quem já lá passou. Mas eu sou teimosa e queria confirmar por mim! E a verdade é que, apesar das expectativas serem baixas, foi uma cidade que me surpreendeu muito, pela positiva.
Se também está com esse pensamento, confira aqui algumas dicas úteis sobre Bruxelas, que talvez o façam mudar de opinião. 🙂

Como chegar a Bruxelas

Saiba que a cidade possui dois aeroportos. O Aeroporto Internacional de Bruxelas (Brussels Airport – BRU), também conhecido como Aeroporto de Zaventem, e o Aeroporo Charleroi (CRL). Estes ficam a cerca de 12 km e 60 km do centro da cidade, respectivamente. Podem ver neste post as várias alternativas de ir do aeroporto de Zaventem, em Bruxelas, para o centro da cidade, e vice-versa.

Onde ficar alojado

Bruxelas não é uma cidade assim tão grande, e as principais atracções turísticas localizam-se no centro. Assim sendo, o centro de Bruxelas é a zona preferencial para os viajantes em turismo se hospedarem na capital belga.

A verdade é que o preço dos hotéis dispara consoante a distância ao centro da cidade. Mas se vai por pouco tempo, recomendo que fique perto desta zona – assim poupa tempo e dinheiro em transportes.



Booking.com

Eu fiquei alojada no Hotel Mozart, a dois minutos da Grand Place. É um hotel super central, limpo e bonito. Toda a decoração faz lembrar Marrocos, desde os candeeiros, as cadeiras, a entrada, tudo! Super recomendo este hotel, principalmente pela boa localização. Ah, e tem pequeno-almoço incluído!

Veja aqui o post completo de onde ficar alojado em Bruxelas

Quanto tempo ficar em Bruxelas?

A capital belga é relativamente pequena, pelo que diria que três dias são suficientes, sem grandes correrias.
Se pretender visitar algumas cidades vizinhas (foi o que eu fiz), recomendo mais dias.
No meu caso, fiquei dois dias e meio em Bruxelas e fiz um bate-volta a Brugge. Se conseguir ficar mais tempo, recomendo ainda visitar as cidades Gent e Antuérpia.

Veja aqui como ir de Bruxelas para Brugge (e vice-versa)
Língua e moeda oficial

A moeda na Bélgica, assim como em diversos países da União Europeia, é o euro (€). Em praticamente todos os estabelecimentos aceitam pagamento com cartões. Ainda assim, há várias caixas de multibanco espalhadas pela cidade.

Há duas línguas oficiais: francês e holandês. No entanto, se não for fluente em nenhuma delas, saiba que o inglês é também falado por muitos, especialmente nas zonas mais turísticas.

Fuso horário

O fuso horário de Bruxelas é GMT+1. Do último domingo de Março ao último de Outubro a diferença em relação ao GMT é de +2.

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto
Transportes

Como já referi, Bruxelas é relativamente pequena e todos os principais pontos turísticos encontram-se próximos uns dos outros. É possível visitar a cidade praticamente toda a pé, à excepção de um ou outro monumento (por exemplo, o Atomium).

A STIB – MIVB é a maior companhia de transportes públicos de Bruxelas e possui serviço de metro, comboio e autocarro na cidade e arredores.

O metro possui apenas seis linhas, das quais duas são metro de superfície, e passam nos principais pontos turísticos. As linhas estão identificadas com cores e números diferentes (como em praticamente todas as cidades com esta rede de transporte).

O horário do metro é aproximadamente das 5h às 24h. Aos sábados, domingos e feriados, o metro começa a funcionar às 6h. A frequência entre eles varia entre 6 a 10 minutos.

Os comboios/bondes são também um óptimo método para se deslocar pela cidade, uma vez que são rápidos e passam também nos principais pontos turísticos. O horário é também muito parecido com o do metro, das 6h às 24h.

Com a diversidade de linhas dos meios de transporte acima referidos, os autocarros não são assim tanto utilizados pelos turistas. O que realmente vale a pena são os chamados “Noctis”, que são os  autocarros nocturnos. Estes funcionam sextas e sábados até as 3h da manhã e os preços são os mesmos dos diurnos.

Os bilhetes são válidos para qualquer um dos transportes públicos acima referidos. Depois de comprados, têm validade de uma hora desde que são validados pela primeira vez. Durante essa hora, pode mudar de linha ou de meio de transporte sem pagar mais.

Um bilhete simples custa 2,10€ (ou 2,50€ se comprar directamente com o motorista) e um bilhete de um dia custa 7,50€. Veja aqui os preços actualizados. Os bilhetes devem ser sempre validados nas estações de metro ou nas máquinas dentro dos autocarros ou comboios, que por norma são cor de laranja.

Caso pretenda visitar cidades vizinhas (Brugge e Gent, por exemplo), a melhor forma é ir de comboio. Os comboios saem das três principais estações de Bruxelas (Nord, Central, Midi) e são bastante frequentes.

Veja aqui como ir de Bruxelas para Brugge (e vice-versa)
Alimentação

É inevitável, a Bélgica é conhecida por três coisas: chocolates, waffles e batatas fritas. Só por aqui já é um excelente motivo para ser visitada 😜 Apesar de ser um país pequeno, é conhecido mundialmente pelas suas delícias culinárias.

Chocolate – A Bélgica produz um dos melhores chocolates do Mundo, não é segredo para ninguém. Seja chocolate branco, negro, de leite, trufas, etc. é um pecado sair de lá sem deliciar-se com esta iguaria. As marcas mais conhecidas são as Leonidas, Neuhaus, Nirvana e Godiva.
Existem várias lojas espalhadas pela cidade, onde é possível comprar ou trazer como lembrança. Algumas lojas parecem-se com autênticas ourivesarias, tal é o primor com que os chocolates estão dispostos. É impossível não salivar ao passar por uma montra de uma loja de chocolates! Relativamente ao preço, achei muito caro. Mas é como se costuma dizer “a qualidade paga-se”, e de facto são muito bons.

Waffles – As waffles são um dos símbolos do país e pode encontrar à venda em qualquer esquina. Aliás, o cheiro nas ruas fala por si! Existem dois tipos de waffles: a Waffle de Bruxelles, que é um rectângulo espesso, com grandes orifícios, massa esponjosa e um exterior crocante, e a Waffle de Liège, que é mais pequena, tem uma forma irregular e é, sem dúvida, mais saborosa porque tem pedaços de açúcar sólidos.
Pode personalizar a sua com açúcar em pó, chantilly, fruta fresca e, claro, chocolate. O preço varia entre os 3€ e 5€.

Batatas fritas – “Batatas fritas como onde quero”. Sim, é verdade. Mas as batatas fritas belgas são especiais. Passo a explicar. As batatas são fritas por duas vezes e não são fritas em óleo vegetal, mas sim em gordura de boi. É isso que lhes dá um sabor diferente. Estas são vendidas como snacks na rua, enroladas em papel e pode comprar em fritteries, ou restaurantes. Pode ainda escolher o molho à parte: maionese, ketchup, americano, mexicano, andalouse, oriental, etc. Por norma, o cone mais pequeno custa 2,50€ e o molho é pago à parte.

Moules frites – Este é talvez o prato mais típico de Bruxelas. São mexilhões, geralmente cozinhados com vinho branco, manteiga e ervas frescas, servidos numa tradicional cocotte e acompanhados de batatas fritas.

Mitraillette – Esta “mini-metralhadora” trata-se de uma baguete recheada com carne, batatas fritas e molho. Não é propriamente uma refeição de luxo, mas é delicioso. Encontram-se disponíveis em quase todas as fritteries.

Carbonnades flamandes – Este é um prato de carne refogada na cerveja belga. Não cheguei a provar, mas dizem ser muito bom.

Speculoos – Enquanto explora a cidade, nada melhor que ir petiscando umas bolachinhas tradicionais belgas. Falo dos speculoos – bolachas com sabor a canela, gengibre, cravinho, cardamomo e noz-moscada.

Cerveja Belga – Todas estas comidas em cima descritas, devem ser empurradas (com moderação 😉 ) com cerveja local. A Bélgica é um excelente destino para os amantes de cerveja e conta com mais de mil rótulos diferentes. Não deixe de passar pelo Delirium Café, em Bruxelas. É um dos bares mais tradicionais da cidade e conta com o maior cardápio de cervejas do Mundo!

Banda Desenhada

Bruxelas é considerada a “Capital de Banda Desenhada” e é um verdadeiro museu a céu aberto para todos os amantes desta arte. Já todos ouvimos falar das histórias do Tintim, o repórter mais famoso do Mundo. O seu criador, Hergé, nasceu em Bruxelas. Tal como outros autores de personagens de banda desenhada.

Na cidade podemos visitar o Centro Belga de Banda Desenhada que alberga um museu de Banda Desenhada e uma loja com venda de livros de BD. Perto da Grand Place há também uma loja só com artigos das histórias do Tintim. Uma verdadeira delícia. Ah, e claro, pela cidade vai encontrar várias livrarias dedicadas à “nona arte”.

Pelas ruas de Bruxelas estão ainda espalhados vários murais de Banda Desenhada. É super interessante fazer este percurso e “andar à caça” de todos eles. A ideia de pintar as fachadas da Bruxelas surgiu em 1991 como uma solução alternativa para decorar as paredes que ficavam em mau estado com o passar dos anos.
Pode ver no site oficial o mapa com a localização de todos os murais espalhados pela cidade.

São todos espectaculares e dão um ar mais “cool” à cidade. Se for com tempo, recomendo que faça um passeio por todos eles!

Veja aqui o posto completo sobre o Mundo da Banda Desenhada, em Bruxelas

Depois de estar tudo aqui explicado tim-tim por tim-tim ( 😛 ), espero que estas dicas úteis sobre Bruxelas o ajudem na sua viagem!

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *