Portugal

O que visitar em Tomar, a Cidade dos Templários

A cidade de Tomar, merece sem dúvida alguma uma visita de todos nós, pela sua riqueza artística e cultural. Esta cidade encantadora, banhada pelo Rio Nabão, promete um dia em cheio. Mas afinal, o que a torna tão especial e o que visitar em Tomar?

Como chegar a Tomar

Tomar é uma cidade portuguesa que pertence ao distrito de Santarém, na região Centro. Localiza-se a 100 km a norte de Lisboa.

Se pretende visitar Tomar e as zonas envolventes, a minha sugestão é que vá na sua viatura ou alugue um carro, para facilitar a locomoção. Existem alguns pontos de interesse fora do centro histórico, e assim o acesso fica mais facilitado.

No entanto, saiba ainda que é possível chegar a Tomar de comboio ou de autocarro.



Booking.com

História

Tomar é considerada a “cidade dos Templários”, uma vez que é a antiga sede da Ordem dos Templários.
Após a conquista aos Mouros em 1147, a cidade foi oferecida à Ordem dos Templários por Afonso D. Henriques como reconhecimento do papel dos monges guerreiros nos combates contra os mouros. Foi considerada uma forma de agradecimento pelo esforço dos cavaleiros desta ordem na manutenção e expansão da fé cristã em território português.

Uma curiosidade acerca desta bela cidade, é que o centro histórico está organizado em cruz, tendo um convento em cada um dos pontos cardeais. No centro dessa cruz encontra-se a Praça da República e a Câmara Municipal de Tomar e ainda a Igreja de São João Baptista.

O que visitar em Tomar

Tomar é uma cidade que tem muito para lhe oferecer. Para além do ambiente agradável do seu centro histórico, com ruelas românticas e um riquíssimo património histórico, tem também uma gastronomia de excelência.

Castelo dos Templários

Considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1983, o Castelo de Tomar é um dos edifícios militares portugueses mais importantes do século XII.

A construção do castelo foi iniciada em 1160 pelo Mestre Templário Gualdim Pais e situa-se numa colina perto do rio Nabão. Mais tarde, este património passou para a Ordem de Cristo e, depois, passou para a posse do estado português.

Quer uma dica? Passeie pelo topo das muralhas e aviste toda a cidade de Tomar e territórios vizinhos. É espectacular!

Convento de Cristo

O Convento de Cristo é o nome pelo qual é geralmente conhecido o conjunto monumental constituído pelo Castelo Templário de Tomar, o convento da Ordem de Cristo da época do Renascimento, a cerca conventual, hoje conhecida por Mata dos Sete Montes, a Ermida da Imaculada Conceição e o aqueduto conventual, também conhecido por Aqueduto dos Pegões.

O Convento de Cristo é um dos monumentos portugueses mais bonitos, que teve influência de vários estilos arquitectónicos ao longo dos séculos, nomeadamente os estilos românicos, gótico, manuelino e renascentista. Dos vários pontos altos da visita destacam-se os claustros góticos e renascentistas, a charola e a janela manuelina.

Dos vários claustros destacam-se o claustro do Cemitério, o claustro dos corvos e o magnífico claustro de João III ou claustro Grande. Este último é de uma beleza ímpar e cheio de detalhes.

No interior do convento vai encontrar um dos ex-líbris deste monumento – a charola. A charola era o oratório privativo dos Cavaleiros e apresenta uma decoração que reflete a riqueza da Ordem dos Templários naquela altura. Aprecie cada detalhe desta obra de arte.

Neste monumento é ainda possível encontrar um fantástico exemplo de arquitectura manuelina – a janela manuelina. Esta janela apresenta a esfera armilar, a cruz da Ordem de Cristo, cordas entrelaçadas e muito mais.

Não pode mesmo sair de Tomar sem visitar esta pérola. Aqui sentimo-nos uns verdadeiros Reis e Rainhas!

Pode visitar o Convento de Cristo das 9h às 17h30 (de Outubro a Maio) e das 9h às 18h30 (de Junho a Setembro). Um bilhete individual custa 6€ e crianças até aos 12 anos não pagam entrada. Saiba ainda que é possível entrar gratuitamente aos Domingos e feriados até às 14h para todos os cidadãos residentes em território nacional. Consulte aqui os horários e preços actualizados.

Igreja da Nossa Senhora da Conceição

A Igreja da Nossa Senhora da Conceição começou a ser construída em 1551, sendo um dos últimos trabalhos do arquitecto João de Castilho. Esta pequena igreja de três naves estava destinada a ser a capela funerária de D. João III, o rei que ordenou a sua construção. No entanto, este acabou por ser sepultado na Igreja do Mosteiro dos Jerónimos.
A igreja situa-se muito perto do Castelo dos Templários, sendo possível visitar a pé.

Igreja de São João Baptista

A Igreja de São João Baptista fica na Praça da República, bem no coração da cidade de Tomar, e foi primitivamente construída no séc. XV. Mais tarde, no séc. XVI, fora reconstruída e ampliada. No decorrer do ano de 1520, o rei D. Manuel decretou que a Igreja de São João Baptista fosse elevada a Colegiada, integrando as capelas de padroado real.

A igreja é de formato rectangular, tem 3 naves e uma torre com sino, uma flecha octogonal e apresenta portais luxuosamente ornamentados ao estilo Manuelino. Vale muito a pena visitar também o seu interior e apreciar o altar barroco em branco e dourado.

Mata Nacional dos Sete Montes

No cimo da Avenida Doutor Cândido Madureira situa-se o principal parque da cidade, a Mata Nacional dos Sete Montes. Com uma área de cerca de 39 hectares, a mata circunda as muralhas do castelo e contém várias oliveiras centenárias, pinheiros bravos e mansos e carvalhos.

No meio da vegetação destaca-se uma torre cilíndrica que pelo seu formato é conhecida como a “Charolinha”.

Aqui é ainda possível encontra a “Fonte do Sangue” ou “Fonte da Gruta”. A fonte recebe as águas provenientes de uma mina do Castelo, descendo a encosta através de um percurso soterrado.

Considerado o pulmão verde da cidade, a mata é um óptimo local para descansar e fazer caminhadas.

Sinagoga de Tomar

A Sinagoga de Tomar é um dos raros templos judaicos integralmente conservada ainda existente em Portugal. É um edifício simples, construído em meados do século XV. A sua principal função seria a religiosa, no entanto, serviu também como escola, assembleia e tribunal da comunidade judaica tomarense.
Actualmente aloja o Museu Luso-Hebraico Abraão Zacuto.

Aqueduto dos Pegões

O Aqueduto dos Pegões é um local obrigatório para quem visita Tomar. Situado sobre o vale da Ribeira dos Pegões, o Aqueduto é um dos maiores e mais imponentes aquedutos portugueses.
Para terem noção da sua imponência, este possui cerca de 6 km de extensão e 180 arcos e é uma das principais obras públicas do séc. XVII em Portugal.

Foi construído a mando de Filipe I, sendo finalizado em princípios do séc. XVII, para abastecer água ao Convento de Cristo. O aqueduto era alimentado por quatro nascentes.

Dado que existe uma plataforma que acompanha a caleira de água, o aqueduto pode ser percorrido a pé ao longo da sua parte superior. Não deixe de subir, visto que a maioria dos aquedutos portugueses não podem ser percorridos livremente. É uma experiência única!

Festa dos Tabuleiros

Certamente já ouviu falar da tão mítica Festa dos Tabuleiros. Esta decorre de quatro em quatro anos, no princípio de Julho.

Nos dias que decorrem, a tradição mantém-se e é uma importante data para os tomarenses. As ruas são limpas e embelezadas, as colchas são colocadas nas janelas, lançam-se flores sobre o cortejo dos tabuleiros e estes últimos são benzidos.

O Cortejo dos Tabuleiros é presidido pelo Pendão do Espírito Santo e pelas três Coroas dos Imperadores e Reis. São seguidos pelos Pendões e Coroas de todas as freguesias, com a participação dos raparigas que levam os tabuleiros. As raparigas usam  vestido comprido branco, com uma fita colorida a cruzar o peito. São ajudadas por rapazes que também têm um traje a rigor, camisa branca de mangas arregaçadas, calças escuras, barrete preto e gravata na cor da fita da rapariga.
O tabuleiro, que deve ter a altura da rapariga, é feito de 30 pães, de formato especial com 400 gramas cada, enfiados equitativamente em 5 ou 6 canas.

A próxima Festa dos Tabuleiros realiza-se ainda este ano (Julho de 2019). Um espectáculo a não perder!

Passear pelo centro histórico

O centro histórico da cidade é muito calmo e é ideal para desfrutar de um relaxante passeio pelas suas ruas repletas de casas brancas.

Outro óptimo local para descansar e passear é o parque da cidade. Este localiza-se junto ao rio e é frequentado por cisnes, garças e patos. Eu achei este parque super bonito!

Venha descobrir o interior do país – há muito para lhe oferecer. E agora que já sabe o que visitar em Tomar, não perca a oportunidade de a conhecer 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *