Marrocos

Tour em Marrocos: 3 dias e 2 noites

Depois de três dias na cidade de Marrakech, era altura de conhecermos mais e decidimos fazer um tour em Marrocos. Comprei, antes de ir, um tour de três dias e duas noites para visitar um pouco mais do país. Há muita gente que faz este tour organizado e imensas agências também.

Veja aqui o roteiro completo de três dias em Marrakech

Muitos recomendam comprar o tour em Marrakech, pois consegue-se preços mais apelativos (negoceiam, claro). Eu comprei ainda em Portugal, pela internet, por duas razões: primeiro porque prefiro ir com as coisas bem orientadas, e segundo, porque a maioria das excursões tem o circuito Marrakech – Deserto do Sahara – Marrakech e eu não queria regressar a Marrakech, mas sim ir para Fes.

Em todas as agências que pesquisei, ir para Fes ficava sempre mais caro do que regressar novamente a Marrakech. A distância é quase igual e ainda não percebi bem a discrepância de preços.

Existem ainda vários pacotes, isto é, apenas duas noites, ou excursões de apenas um dia. Dá para todos os gostos e tipos de carteiras. É só escolher!

O tour que eu fiz passa por várias cidades icónicas, com imensas atracções, mas o ponto alto da viagem é a noite no Deserto do Sahara. Daí este tipo de tour ser tão famoso, apesar de não variar muito de agência para agência. Eu escolhi a que me apresentou o preço mais baixo, pois todas ofereciam basicamente o mesmo.

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto

O itinerário é então:

  • Dia 1 – Marrakech – Ait Ben Haddou – Ouarzazate – Skoura – Valley Of Roes – Dades Gorge
  • Dia 2 – Dades Gorges – Boumlane – Tinghir – Toudra Gorges – Tinjdad – Touroung – Erfoud – Merzouga
  • Dia 3 – Merzouga Desert – Errissani – Ziz Valley – Azrou – Ifrane – Fes

Basicamente, entramos em contacto com a empresa e esta envia-nos um itinerário semelhante ao de cima, o preço por pessoa e a forma de pagamento. Normalmente descreve também a hora de partida e a hora de chegada e a possibilidade de upgrades. Isto é, se optarmos por um hotel mais conceituado, digamos, o preço por pessoa acresce, podendo ir de 10€ a 60€ a mais por pessoa. O mesmo acontece se quisermos optar por acampamento de luxo ou tenda apenas para duas pessoas, no deserto.


Booking.com

Costumam indicar também o que está ou não incluído no preço do tour. O que está incluído, normalmente, é:

  • Transporte à porta do alojamento
  • Motorista para toda a viagem que fala vários idiomas
  • Alojamento para duas noites
  • Pequenos-almoços e jantares (excepto as bebidas)
  • Viagem de camelo
  • Flexibilidade de paragens
  • Transporte de Merzouga para Fes/Marrakech (que nos deixa à porta do alojamento)

O que não está incluído:

  • Lanches e almoços
  • Compras pessoais
  • Guias locais

O método de pagamento é descrito no email. No meu caso, paguei 30% do valor total por Paypal e o restante no dia do tour, que pode ser pago em Euros ou Dirham.

 

1º dia do tour em Marrocos

À hora combinada, o transfer foi buscar-nos à porta do Riad, para depois nos encontrarmos com o restante grupo. Ali é pago o restante valor do tour, ficamos a conhecer os nossos companheiros de viagem, as malas são carregadas e aí vamos nós! A nossa carrinha levava 19 pessoas, incluindo o motorista. Estávamos todos com muito sono, mas ao mesmo tempo muito excitados com esta aventura.

O motorista não era de muitas conversas, mas tentava sempre dizer-nos os locais por onde passámos, o que iríamos visitar de seguida e respondia sempre às nossas perguntas curiosas. Normalmente, as paragens para almoçar/lanchar eram em sítios onde o motorista ganhava a sua comissão, o que me desagradou um bocado, porque no geral são mais caros.

Seguimos viagem, atravessando as montanhas do Atlas, em curva e contra curva. Recomendo desde já a tomarem algo para os enjoos (foi o que nos valeu!). A primeira paragem foi apenas para esticar as pernas, comer algo e ir à casa de banho (a pagar, claro). Voltámos a seguir viagem até ao próximo destino.

Parámos então em Ait Ben Haddou, que fica no sopé do Alto Atlas, junto do rio Ounila. Mal saímos da carrinha, fomos abordados por um guia que quis mostrar o local ao grupo, mediante 3€/pessoa. A verdade é que conseguíamos visitar o local sem guia, mas ninguém se opôs.

É normal reconhecer o local de várias séries e filmes de televisão, pois foi muitas vezes escolhido para filmagens, nomeadamente o Game of Thrones e o Gladiador. Está inserido na lista de Património Mundial da UNESCO por ser um tipo de edificação singular e por se manter bem preservado até aos nossos dias.

Para chegar até lá pode atravessar uma ponte ou fazê-lo a pé, saltando de pedra em pedra, se o rio não estiver cheio e não estiver na época de chuvas. Nesta última opção, há crianças que ajudam a atravessar as pedras a troco de dinheiro!

Ao longe, vemos uma aldeia esculpida a barro, onde as suas cores se misturam com as da paisagem circundante, de tom avermelhado. À medida que nos vamos aproximando, é que começamos a ver os recortes das janelas e silhuetas das casas.

O nosso guia deu-nos uma pequena explicação sobre o local. Ait Ben Haddou é um ksar (em português Álcacer) constituído por várias casas feitas de adobe, ou seja, uma mistura de argila e seixos do rio. Actualmente vivem ali apenas dez famílias, uma vez que as restantes instalaram-se do outro lado do rio, onde têm melhores condições. Aqui não há electricidade e os locais vivem maioritariamente do turismo. A água que corre no rio é salgada, devido às rochas ali presentes, o que a torna imprópria para consumo humano.

As casas parecem ter sido construídas umas em cima das outras e as ruas são muito estreitas. Visitámos o interior de uma das casas e de facto é algo inimaginável nos dias que correm. Os habitantes dormem no chão, apenas com algumas mantas, não há luxos e a cozinha é ao ar livre!

Depois de percorremos as ruas acidentadas, passando por várias lojas de artesanato que exibem tapetes coloridos, chegamos ao topo da colina. Daí consegue-se uma vista soberba sobre Ait Ben Haddou. Uma maravilha!

Chegara a hora de almoço e almoçámos ali perto.
Seguimos então viagem até Ouazsarzate onde parámos em frente ao Museu de Cinema, apenas para tirar algumas fotos. Gostava muito de ter entrado, mas como era pago ninguém do grupo quis entrar.

Depois de algumas paragens pelo meio para lanchar e ir à casa de banho, parámos para assistir ao pôr-do-sol em Dades Gorge. O motorista parou numa zona onde é possível ver formações rochosas estranhas. Uma paisagem de cortar a respiração!

Pernoitámos no Kasbah de la Vallee. Os quartos são duplos, com casa de banho privativa e uma pequena varanda. Achei os quartos muito frios e a banheira não tinha cortina, o que acabou por molhar tudo o resto. Mas pronto, tinha condições minimamente aceitáveis. Para o jantar foi servido tajine, em que cada um tinha direito apenas a um pedaço de frango e as bebidas não estavam incluídas. Não passámos fome, mas também não era muita comida.
Fomos descansar, pois o dia seguinte ia ser longo!

2º dia do tour em Marrocos

Levantámo-nos ainda o sol não raiava. Tomámos o pequeno-almoço no hotel e partimos novamente para percorrer mais kms de estrada.

A primeira paragem foi em Tinghir, para tirar fotos à paisagem. O verde do vale carregado de palmeiras contrastava com a terra avermelhada. Que belo cenário!

A paragem seguinte levou-nos a uma casa berbere onde podemos assistir à realização de tapetes feitos à mão. Descalçámo-nos e ofereceram-nos chá de hortelã! Aqui tivemos novamente de pagar a um guia, mas cada um dava o que achava justo.

O grupo sentou-se num semi-circulo a ouvir as explicações sobre os diferentes tipos de tapetes. Há tapetes feitos de pêlo de ovelha, camelo ou camelo bebé. Os preços podem oscilar entre 35 a 800€. Sim, leram bem! A verdade é que são todos lindos e não há nenhum igual a outro, o que os torna exclusivos.

De seguida, atravessámos a pequena aldeia e fomos até um dos pontos altos do dia, o Toudra Gorges. Trata-se dos desfiladeiros mais conhecidos de Marrocos. Estes desfiladeiros são compostos por impressionantes penhascos que chegam a atingir os 300 metros de altura, separados apenas por 20 a 50 metros.

Consoante a hora do dia e a incidência do sol, as paredes do desfiladeiro assumem diferentes tons. Um verdadeiro espectáculo a céu aberto. Este local é bastante procurado por turistas, mas também por amantes de escalada.

Entre as enormes paredes corre um rio. O nosso guia explicou-nos que os antigos acreditam que aquelas águas são muito férteis, e as mulheres devem mergulhar nuas no rio para conseguirem engravidar mais facilmente.

É de facto um local soberbo, onde temos a confirmação que o ser humano é muito pequeno diante da natureza!

Mais umas horas de viagem e parámos num restaurante para almoçar. Daí, prosseguimos até Merzouga, onde a carrinha que nos transportou durante toda a viagem foi substituída pelo dorso de um camelo que nos levou até ao acampamento no Deserto do Sahara, onde iríamos pernoitar.

Veja aqui como foi a experiência de dormir uma noite no Deserto do Sahara

3º dia do tour em Marrocos

O último dia do tour em Marrocos começou às 5.30h da manhã. Acordaram-nos a esta hora para regressarmos a Merzouga. Os camelos já estavam prontos para nos levar de volta. Assistir ao nascer do sol, no dorso de um camelo, entre as dunas do Deserto do Sahara, foi uma das experiências mais incríveis da minha vida!

Toda a gente acumulava cansaço e muito sono, mas ainda assim o burburinho que se fazia sentir era de excitação. Famintos, tomámos o pequeno-almoço (incluído no tour) num albergue em Merzouga. Apesar de haver balneários que nos permitiam tomar banho, ninguém o fez dadas as suas péssimas condições.

Seguimos então caminho e despedimo-nos do deserto com aquela lágrima no canto do olho. Passados alguns kms, era altura de separar o grupo. As pessoas que iam voltar para Marrakech seguiram no mesmo autocarro. Nós e mais dois casais trocámos o autocarro por um táxi, também incluído no preço do tour, que nos levaria por outras estradas até Fes.

O taxista falava apenas árabe e um pouco de francês, o que dificultou a comunicação. Ainda assim, foi sempre muito simpático e pôs-nos à vontade para pararmos onde e quando quiséssemos.
A primeira paragem foi num café à beira da estrada para ir à casa de banho e esticar as pernas. Mais umas horas parámos para almoçar, num sitio escolhido por ele, claro!

Neste dia pouco se conhece, pois a viagem até Fes demora muitas horas. Escusado será dizer que não é nada confortável viajar tantas horas num táxi de sete pessoas, mas é o que há 🤣.

Apesar de estarmos todos cansadíssimos, ninguém conseguiu dormir. Ainda tínhamos muita adrenalina no corpo. O que não foi mau de todo, pois conseguimos apreciar a paisagem. E de facto, Marrocos consegue ser uma caixinha de surpresas. No mesmo dia, de manhã, estávamos no deserto, e à tarde, passámos numa zona com neve. Impressionante!

A meio da tarde o condutor perguntou-nos se podia parar apenas 5 minutos e juntou-se a um grupo que rezava na berma da estrada. É fascinante o poder da religião!

Mais tarde pedi se podíamos parar em Ifrane. Ninguém do grupo se opôs e ele atendeu ao meu pedido. Ninguém tinha percebido o porquê daquela paragem, mas eu havia estudado em casa que ali se encontravam macaquinhos à solta e eu queria muito ver!

O condutor parou o táxi e saímos. Ninguém do grupo pareceu gostar muito da experiência – cá eu, adorei! Comprei um saquinho de amendoins por 1€, a um menino que por ali tentava a sua sorte. Enquanto o saco estava cheio, os macacos não me largaram. É possível alimentá-los à mão, com o devido cuidado e sem fazer movimentos bruscos. Ainda assim, é preciso ter cuidado, pois os macacos costumam ser traiçoeiros e podem roubar-nos algumas coisas (o que não aconteceu).

Parecia uma criança, pois adoro animais e alimentá-los no seu habitat natural, sem grades, foi uma experiência muito enriquecedora.

O sol estava a pôr-se, mas fizemos uma última paragem antes de chegar a Fes. Uma vista soberba sobre as montanhas ditara assim o fim destes três dias de tour em Marrocos!

O motorista foi-nos deixando à porta, ou o mais próximo possível do nosso alojamento, por volta da hora do jantar.

Veja aqui o roteiro completo de três dias em Marrakech
A minha opinião

No início ponderei bastante em comprar o tour pela internet ou em Marrakech, mas como gosto de ir com as coisas bem planeadas não me arrependi de comprar antecipadamente. Optei pela empresa que me apresentou o valor mais baixo e, no geral, correu tudo bem.

Para mim, a pior parte foi sem dúvida a viagem para Fes. O taxista conduzia muito mal e fazia ultrapassagens que me fizeram temer pela vida. No entanto, pela sua descontração, reparei que é super normal aquele tipo de condução.

A situação mais desagradável que aconteceu foi termos perdido umas coisas pessoais no autocarro que nos transportou a viagem toda, e só reparámos quando estávamos a ir para Fes. Tentei de tudo para reaver as nossas coisas, falando com a empresa, quer por email, quer por telefone. Eles não nos ajudaram a resolver a situação nem a reaver as nossas coisas.
Claro que a culpa foi nossa, mas não houve qualquer tipo de ajuda por parte da empresa para nos devolverem as coisas. Só por esta razão, não voltava a fazer o tour com a mesma agência.

Apesar deste dissabor, no geral, a viagem correu muito bem e correspondeu às expectativas. Neste tour em Marrocos fomos bem tratados e conseguimos conhecer mais deste país maravilhoso. E claro, adorámos a experiência de dormir no Deserto do Sahara, que é o ponto alto da viagem.

Assim sendo, recomendo a quem tiver vários dias no país a fazer um tour semelhante. É uma experiência marcante!

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto

8 thoughts on “Tour em Marrocos: 3 dias e 2 noites”

  1. Olá Lara,
    Estou a planear uma viagem a Marrocos para este Abril e queria fazer precisamente o que fizeste; começar em Marrakech, dormir no deserto e acabar em Fez. Podes dar-me o nome da agência pela qual fizeste esta tour? 🙂

    Obrigada!

  2. Humm certo! Mas mais ou menos uma ideia do que gastou nos primeiros 3 dias? Ouvi dizer que lá é barato 😊 marraquexe
    Obrigada beijinhos!

    1. Isso vai depender muito do seu tipo de viagem e gostos 😊 As refeições, bebidas, etc. no geral são baratas. Pode-se comer por menos de 5€/pessoa. As compras/souvenirs também são baratos (mas tem de regatear SEMPRE). O que achei muito caro foi as entradas para as diversas atracções. Os preços dispararam quase todos (tenho no roteiro) 😊 Qualquer coisa disponha. Um beijinho e boa viagem*

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *