Barcelona Espanha

Visitar a Sagrada Família

Não poderia começar este post de outra forma, senão com um grande: UAU!
Ficar parada diante deste monumento e por sua vez visitar a Sagrada Família é mesmo isso. Algo único!

A Sagrada Família é nada mais nada menos que o monumento mais visitado em Barcelona, contando com mais de 3 milhões de visitantes por ano.

Considerada a obra mais importante de Gaudí, a Sagrada Família é de facto um monumento que não deixa ninguém indiferente.

História da Sagrada Família

O início da construção da Basílica da Sagrada Família data de 1882, pelas mãos do arquitecto Francisco de Paula Del Villar y Lozano. Após alguns desentendimentos, o arquitecto abandonou o projecto e esse mesmo lugar é ocupado por Antonio Gaudí, em 1883. Na verdade, a cidade respira Gaudí por todo o lado (Park Güell, Casa Batlló, entre outros), dando-lhe um charme único!

Devido a uma grande doação anónima, o projecto inicialmente em estilo neogótico, fora alterado por Gaudí. Projectou assim uma obra ainda maior e mais ambiciosa que a inicial. Este projecto inovador contava com uma Basílica de grandes dimensões, 18 torres altas e uma escultura carregada de simbolismo religiosa.
A dedicação de Gaudí a esta obra fora tão grande, que passou a viver no templo nos seus últimos meses de vida.

Em 1925, Gaudí viu terminada a Fachada da Natividade. Aliás, esta foi a única fachada que viu construída, sendo que o destino ditara a sua morte em 1926.

O artista já sabia à priori que não conseguia ver acabada a sua maior obra. Como tal, deixou os seus planos e projectos com outros artistas que não deixaram o seu sonho morrer. Todos tentaram respeitar sempre a ideia original de Gaudí!

O exterior da Sagrada Família

A Basílica conta com três fachadas: a Fachada da Natividade, a Fachada da Paixão e a Fachada da Glória.
A Fachada da Natividade retrata o nascimento de Cristo e tem vários elementos que retratam esse marco histórico. É uma fachada com bastante cor e cheia de vida.

A Fachada da Paixão retrata o sofrimento de Jesus nos seus últimos dias de vida. É uma fachada mais simples e sisuda.

A Fachada da Glória é a maior fachada da obra. Esta fachada ainda está a ser construída, no entanto, irá ser representada pela morte, o Juízo Final, a Glória e o Inferno.

Na parte exterior podemos ainda ver algumas torres, sendo que ainda faltam construir outras tantas. No final, a Basílica contará com 18 torres, desenhadas por Gaudí. Doze torres seriam dedicadas aos Apóstolos, quatro aos Evangelistas, uma à Virgem Maria e outra a Jesus. Cada uma delas terá uma altura diferente em função da hierarquia religiosa que representam.

É de facto uma obra imponente e com muitos detalhes arquitectónicos.

O interior da Sagrada Família

Se o exterior já é surpreendente, nem imagina o seu interior!

Para desenhar o seu interior, Gaudí inspirou-se, uma vez mais, na natureza e nas suas formas. Com várias colunas em forma de troncos de árvore, o interior do templo faz lembrar um enorme bosque de pedra.

Uma das partes mais surpreendentes no seu interior são os vitrais coloridos. A penetração da luz vinda do exterior naqueles vitrais maravilhosos combinam de uma forma inigualável. O interior do templo fica todo iluminado e colorido – simplesmente lindo!

Cripta da Sagrada Família

Quando Gaudí começou a trabalhar no projecto da Basílica, a cripta já estava construída. Ele apenas deu alguns retoques.
A cripta é formada por várias capelas, sendo que a capela central (onde se encontra o altar) é dedicada à Sagrada Família.

Até à finalização da construção da Sagrada Família, a cripta continua com a função de igreja paroquial.

Apesar de ter sido declarada Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, a cripta é a parte mais desconhecida da obra. O que poucos sabem é que ela pode ser visitada, e gratuitamente! O acesso à cripta é independente da visita ao templo. No entanto, o horário para visitar a cripta é bastante restrito: de segunda-feira a sábado, das 9h às 10h e das 18h às 21h e aos domingos e feriados, das 9h às 14h e das 18h às 21h.

O acesso à cripta é feito por um portão metálico que se situa à esquerda da bilheteira da Sagrada Família. É necessário passar pelo segurança que revista os seus pertences.

Eu fui no horário das 9h às 10h, antes de visitar o templo. Quando fui, estava a decorrer uma missa, pelo que não consegui ver tudo mais detalhado. Ainda assim adorei a experiência. Estava pouca gente e olhando para cima, conseguimos ver as pessoas a passear no templo (alguns até a espreitar lá para baixo, sem saber que também podiam visitar a cripta).

Visitar a Sagrada Família

É possível visitar a Basílica da Sagrada Família todos os dias do ano, sendo que os horários variam conforme a época do ano. Pode confirmar aqui os horários actualizados.

Uma vez que é considerado um templo expiatório, ou seja, construído a partir de doações, a entrada é paga. Parte do dinheiro dos bilhetes reverte a favor da continuação deste enorme projecto.

Existem vários bilhetes, com diferentes valores também. Pode fazer uma visita “básica”, com áudio-guia, com a possibilidade de entrar também na Casa Museu Gaudí e com a possibilidade de acesso às torres.

 

Eu optei pela visita mais básica. Mas pode optar pela que mais lhe agradar. Sendo de notar, que se optar pelo bilhete com acesso às torres, a subida é feita por elevador e a descida por umas escadas em forma de caracol, pelo que não é aconselhável a pessoas com dificuldade de locomoção.

É aconselhável comprar os bilhetes antecipadamente, uma vez que as filas tendem a ser enormes em qualquer altura do ano. Pode comprá-los aqui antecipadamente.

Dicas
  • A Sagrada Família é um templo religioso, e como tal deve ter em atenção ao vestuário. Apesar de não serem muito rigorosos, convém não abusar.
  • É aconselhável comprar antecipadamente os bilhetes para evitar longas filas de espera.
  • Cada um tem o seu ritmo de visita, claro, mas pode contar com pelo menos duas horas de visita.
  • Em frente à Fachada da Natividade existe uma praça com um lago. Aqui é possível tirar-se fotos lindas 😉

A questão que está a colocar neste momento deve ser “Quando é que a obra estará completa?“. Pois bem, até ver a Basílica da Sagrada Família totalmente acabada ainda vai demorar alguns anos. 2026 é a previsão, ano em que Gaudí completaria 100 anos.

A Basílica tornou-se o símbolo da cidade de Barcelona, pelo que visitar a Sagrada Família é imprescindível. 😀

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *