Tailândia

Roteiro: 1º dia em Chiang Mai

Ficámos no Norte da Tailândia, mais precisamente em Chiang Mai, durante três dias completos (4 noites). No entanto, conhecemos Chiang Mai em apenas dois dias, uma vez que num deles fizemos um tour de um dia a Chiang Rai.
Chegámos a Chiang Mai já ao final da tarde, pelo que nesse dia não conseguimos visitar nada. Essa noite foi reservada para assistir ao Festival das Lanternas. Veja neste artigo tudo o que precisa de saber para assistir ao Festival das Lanternas e ao Loy Khratong. Assim sendo, vamos começar pelo roteiro do 1º dia em Chiang Mai.

1º dia em Chiang Mai

Apesar de no dia anterior nos termos deitado um pouco tarde tal era a emoção de ter assistido ao Festival das Lanternas, o 1º dia em Chiang Mai começara bem cedo.

Já tínhamos marcado, ainda em Portugal, uma visita a um santuário de elefantes. Procuramos sempre visitar locais, atracções ou instituições que estejam ligados ao turismo responsável e consciente. Desta vez não foi excepção! Foi uma experiência incrível – daquelas coisas que fazemos na vida e nunca nos iremos esquecer. Vejam aqui como foi a nossa experiência ao visitar um santuário de elefantes.

Esta experiência já incluía o almoço e ao início da tarde já estávamos novamente em Chiang Mai. Deixaram-nos no hotel, o The Royal Guest House, fomos tomar um banho e partimos à descoberta da cidade.

Fomos de Grab (tipo Uber) até ao Wat Phra Singh, um dos maiores templos da cidade. É um templo super bonito e brilhante. Foi construído no século 14 e apresenta um estilo Lanna bem tradicional, com telhados de madeira esculpidos e pintados.

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto

O templo tem três estruturas principais, sendo que a principal atracção é o o Wihan Lai Kham, muito bem decorado com vários murais que retratam a vida dos moradores locais há centenas de anos. É aqui que se encontra a famosa estátua de Buda, o Phra Buddha Sihing, que deu o nome ao templo.

Atrás do salão principal encontra-se uma pirâmide de ouro magnífica. Reza a lenda que se der três voltas completas a ela e tocar todos os sinos, terá muita sorte na vida.

Toda a área envolvente é muito verde, óptimo para se abrigar do calor ardente da cidade. Uma das coisas que gostámos muito foi, ao passear no jardim, existirem várias placas com frases motivacionais. Achámos muito fofo!

O Wat Phra Singh está aberto das 6h às 17h e a entrada custa 40 baht.

Confira aqui todas as dicas para viajar para a Tailândia

De seguida, fomos a pé até ao Wat Chedi Luang, outro templo bastante visitado na cidade. Durante esse trajecto visitámos outros dois templos mais pequenos (há imensos espalhados pela cidade).

O Wat Chedi Luang tem quase 700 anos e foi construído com o objectivo de abrigar as cinzas do pai do rei, na época. Era a maior edificação de todo o Império Lanna – chegou a medir 80 metros de altura e 60 metros de diâmetro. Este templo chegou a ser o abrigo do Buda Esmeralda, a figura de Buda mais sagrada da Tailândia, e que, actualmente, está no Grand Palace em Bangkok.

Actualmente, do seu templo principal só restaram ruínas magníficas que sobreviveram a um terremoto no século XVI. O abalo destruiu parte da cúpula. Ainda assim tem uma estrutura impressionante! Cada fachada tem escadarias adornadas por serpentes e estátuas de elefantes.

Existem vários templos dentro do complexo, cada um mais bonito que o outro. Ali também fica o “City Pillar” ou pilar da cidade, monumento construído durante o período do reino Lanna, que representa a protecção da cidade e o seu centro. No entanto, este pequeno templo só pode ser visitado por homens. No complexo também pode-se participar no programa “Monk Chat”, onde pode sentar-se numas mesinhas de xadrez para conversar com os monges – a ideia é que ele possa praticar o inglês.

Veja aqui como ir do aeroporto de Chiang Mai para o centro

O Wat Chedi Luang está aberto das 6h às 17h e a entrada custa 40 baht.

Depois da visita demos uma voltinha pelas ruas de Chiang Mai, sem destino. Ruas essas que naquela altura estão ainda mais fofas – todas coloridas, bem arranjadas e decoradas com lanternas e velas nas casas.

Uma vez que já tínhamos lançado a nossa lanterna na noite anterior, decidimos ter outra experiência. Dirigimo-nos ao Wat Phan Tao, que é um templo de madeira belíssimo. Durante esta altura do ano, neste templo, acontece uma apresentação budista. Ou seja, por volta das 19h é possível ver os monges a meditar e depois a soltar as suas lanternas.

Nós chegámos antes das 19h e já lá estava imensa gente. Recomendamos chegar bem cedo se quiser ficar nos lugares da frente. Todo o evento é lindo, no entanto não conseguimos assistir até ao final. Estava imensa gente, muito (mesmo muito) calor e esperámos mais de uma hora e meia e os monges não apareciam. Com muita pena nossa tivemos mesmo de desistir, já não estávamos a aguentar mais!

Veja aqui como visitar um santuário de elefantes

Como não tínhamos conseguido assistir à cerimónia, fomos ver a parada oficial. No final da tarde vários carros alegóricos desfilam pelas ruas da cidade. Cada carro é mais bonito que o outro, decorado ao milímetro. A cidade vai em peso, locais e turistas, assistir ao desfile!

O 1º dia em Chiang Mai estava a terminar, e, já fora de horas, fomos jantar. Optámos pelo restaurante Coconut Shell Thaifood para provarmos o prato típico da região – Khao Soi. Trata-se de uma sopa muito saborosa de caril e leite de coco com frango ou porco (mas pode pedir com tofu se for vegetariano). O caldo é depois deitado por cima de noodles de ovo quentes e coberto com verduras, rebentos e noodles frias.

Voltámos a pé para o hotel e caímos redondos na cama, tal era o cansaço deste 1º dia em Chiang Mai.

Roteiro do 1º dia em Chiang Mai:
Espreite aqui o 2º dia em Chiang Mai

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *