Portugal

Parque Nacional da Peneda – Gerês

Decidimos visitar o Gerês, este ano em Abril. É uma altura em que não está nem muito frio nem muito calor, podendo usufruir da natureza ao máximo. Não estava tempo para tomar banho e nadar naquelas águas apetitosas só de olhar, é certo. Mas ter a paisagem e aquelas vistas só para nós é impagável. Fomos apenas por 4 dias, uma escapadinha para descansar. E a verdade é que o Gerês apaixona!

Locais de paragem obrigatória
Vila do Gerês

A Vila do Gerês é uma pequena vila situada no Parque Nacional da Peneda Gerês, a Norte de Portugal.
É uma vila pacata, que vive muito do turismo. Há vários hotéis e pensões, alguns restaurantes, farmácia, comércio local e posto de turismo.

Como fomos na altura da Primavera, a vila estava bastante calma e quase sem carros. As pessoas são acolhedoras e sempre prontas a ajudar nas orientações.

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto
São Bento da Porta Aberta

O santuário de S. Bento da Porta Aberta é o segundo maior santuário português (depois de Fátima) e atrai anualmente centenas de milhares de peregrinos.

Segundo reza a tradição, construíram uma capela que possuía um alpendre, e as suas portas encontravam-se sempre abertas, servindo de abrigo a quem passava.

Foi daí que veio a designação de S. Bento da Porta Aberta.

É um local de culto e fé, havendo também bastantes peregrinações até lá. A vista lá de cima é incrível!

Cascata da Portela do Homem

Está localizada a dois quilómetros da Portela do Homem, muito perto da fronteira Espanha-Portugal e é um lugar lindo, não só pela sua maravilhosa cascata, mas também por toda a natureza envolvente da Mata da Albergaria.

Ao atravessarmos a ponte sobre o Rio Homem, descobrimos à direita esta maravilhosa cascata. Aqui não é permitido estacionar o carro, por isso é obrigatório percorrer mais um quilómetro para estacionar o carro na Portela do Homem e fazer o percurso inverso, a pé.

Formam-se lagoas com água tão pura e tão límpida que parecem saídas de um filme.

Miradouro da Pedra Bela

Situa-se em Terras de Bouro e está acerca de 800 metros de altitude. É uma das paragens obrigatórias para quem visita o Gerês. A qualquer hora do dia a vista é simplesmente deslumbrante! Pare, respire fundo e contemple a paisagem…

Cascata do Arado

A Cascata do Arado é uma das cascatas mais famosas do Gerês e possivelmente a mais visitada, devido à facilidade de acesso para carros. É uma cascata imponente, criando um conjunto de cascatas e pequenas lagoas.

Para conseguir apreciá-la de outra perspectiva não pode deixar de subir um pequeno trilho que o conduz a um miradouro localizado mesmo em frente à cascata. É necessário precaução na subida e o aviso no inicio do trilho não é simpático, mas vale muito a pena subir e deslumbrar toda aquela vista.

Cascata do Tahiti

São conhecidas como as Cascatas do Tahiti mas o seu nome correcto é Fecha das Barjas. Esta é das cascatas maiores e mais bonitas do Gerês. No entanto é de acesso difícil. Pode-se estacionar o carro lá perto, mas prepare-se para uma descida a pé alucinante.

Pode atravessar-se a margem através de um tronco colocado mais abaixo, no entanto não o fizemos pois no mês de Abril o caudal de água é mais intenso e não quisemos arriscar.

Se a vista até meio do trajecto é o que é, nem quero imaginar a vista lá de baixo.

Prepara-se também para o esforço do regresso 😛

Vila de Torneiros -Termas de Lobos do Rio Caldo

Portugal tem excelentes termas, disso ninguém duvida. Como tal, não é necessário sair do país para usufruir delas. No entanto, quando a nossa localização é o Gerês, não tem como não dar um pulinho a Espanha, mais precisamente à vila de Torneiros.

Esta vila localiza-se a cerca de 30km do Parque Nacional do Gerês e é mais conhecida pelas suas termas. Tem uma piscina onde podemos tomar banho de água quente (40ºC) e o mais fantástico disto tudo é que são GRÁTIS!

Devido à sua proximidade com a fronteira, estas termas são mais frequentadas por portugueses e mal ouvimos falar espanhol.

Mesmo ao lado, passa o rio que também tem zonas quentes e uma área com árvores e relva bem agradável para puder fazer um piquenique.

Dica: Ao passar a fronteira, o relógio do telemóvel actualiza automaticamente. Não percebi bem porquê, mas no regresso não mudou. Então fiz a minha vidinha como se nada fosse. Por isso não façam como a outra (eu!) que ia jantar às 18h, e como é lógico ainda não tinham as refeições prontas!

Nós ficámos alojados no Gerês Guest House. Um local super acolhedor e com pequeno-almoço bem apetitoso.

Procure o seu hotel ideal no Gerês!



Booking.com

2 thoughts on “Parque Nacional da Peneda – Gerês”

  1. Olá, Boa Noite,
    Estive a ler o relato sobre a sua viagem ao Parque Nacional Peneda-Gerês.
    Gostaria de realçar que Cascata do Tahiti não existe. è um nome errado que que lá vai e não conhece o local assim o chama, porque ouve os outros assim chamar: é mais precisamente Fecha de Barjas.
    Sugiro correção.
    https://pnpgeres.pt/2018/05/13/fecha-de-barjas/

    Atenciosamente
    José Silva

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *