Bélgica

Roteiro: 2º dia em Bruxelas

Os primeiros raios de sol surgiam e eu já estava prontíssima para palmilhar a capital da Bélgica. Havia muito para explorar neste que seria o 2º dia em Bruxelas. Tomei um (super) pequeno almoço no Hotel Mozart e aí fui eu, à descoberta!

A primeira paragem do dia era um dos símbolos mais icónicos da cidade, o Manneken Pis. O Manneken Pis é uma estátua de cerca de 50 centímetros, criada em 1619. Representa um menino nu a urinar numa pia de uma fonte, constituindo assim o monumento que melhor simboliza o espírito rebelde e desafiador dos habitantes de Bruxelas.

Ninguém sabe exactamente a origem da personagem, no entanto, existem várias lendas associadas ao menino. A mais célebre é que este teria apagado o fogo com o seu chichi, salvando assim a cidade de um grande incêndio.

A pequena estátua conta com um guarda roupa com mais de 650 peças e em algumas alturas do ano podemos vê-lo vestido. As roupas de tamanho reduzido podem ser encontradas no Musée de la Ville, localizado na Maison du Rei.



Booking.com

Seguimos então em direcção à Catedral de São Miguel e Santa Gúdula. A Catedral de São Miguel e Santa Gúdula é a maior e mais importante igreja da cidade. Imponente e majestosa são os adjectivos que talvez a descrevam melhor.

Esta magnífica igreja combina vários estilos, desde o Românico ao Gótico, sendo este último o estilo predominante. A construção da catedral foi dedicada aos santos padroeiros da cidade, São Miguel Arcanjo e a mártir Santa Gúdula.

Mas se por fora a igreja é soberba, com todas as suas estátuas de anjos e de pessoas importantes a decorar a fachada, o seu interior é igualmente belo! Os detalhes estão por todo o lado e vale a pena explorar cada cantinho.

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto

A igreja passou por uma grande restauração entre 1983 e 1989, depois de ter sido diversas vezes saqueada, pelo que o seu estado de conservação é muito bom.
No interior, o detalhe e precisão dos vitrais deixaram-me fascinada, tal como o seu púlpito barroco talhado em madeira.

Guardado cuidadosamente por um pórtico de ferro forjado do século XVIII, podemos ainda encontrar um verdadeiro tesouro na Capela do Santíssimo Sacramento. Aqui permanecem vários objectos litúrgicos e religiosos, cálices e esculturas.

A entrada na igreja é gratuita, no entanto, se quiser visitar o Tesouro da Catedral tem um custo de 2€ e a cripta de 3€. Pode consultar aqui os preços e horários actualizados.

Seguidamente fomos visitar o Parc de Brussels, que se situa muito próximo da catedral. Também designado de Parque Real, é aqui que os habitantes da cidade vão para relaxar e escapar da correria do dia a dia.

Até 1770 os Duques de Brabante utilizavam a zona como terreno de caça. A partir daí a zona foi renovada para adquirir o aspecto que tem hoje em dia: um parque cheio de fontes, esculturas e caminhos agradáveis para passear.

No final do parque encontramos o Palácio Real de Bruxelas, a sede da monarquia constitucional belga. Este alberga os escritórios dos reis, alguns ministérios, salas de reuniões oficiais e salas para os chefes de estado convidados. No entanto, desde 1831 que os reis não moram ali.

Veja aqui algumas dicas úteis para viajar para Bruxelas

Infelizmente não tive o privilégio de visitar o seu interior uma vez que só está aberto ao público habitualmente de 21 de Julho (feriado nacional) até o início de Setembro. Se viajar nesta época não deixe de o fazer. Até porque possui salas de grande valor como a Sala do Trono, o Pequeno Salão Branco, a Sala dos Espelhos e a Sala Goia.

Nos fundos do Palácio Real situa-se uma igreja igualmente majestosa, a Igreja de Saint Jacques sur Coudenberg. Com uma fachada inspirada num templo romano, a sua construção aconteceu entre 1776 e 1787 e é do estilo neoclássico.

No centro da praça onde se encontra a igreja está a estátua equestre de Godfrey de Bouillon, líder da primeira cruzada de 1096.

Andando mais um pouco pela avenida, avistamos uma outra igreja imponente, a Igreja Notre Dame du Sablon. A igreja apresenta um estilo gótico, foi construída no século XV e é, sem dúvida, um ponto de visita obrigatório.

A parte exterior da igreja chama a atenção pela imponência e riqueza de detalhes. Mas também o seu interior é impressionante. Apesar de simples, a igreja apresenta uns belíssimos vitrais que nos enchem os olhos e ainda um púlpito de madeira, fabricado em 1697.

No final da avenida, avistamos ainda um imponente edifício. Trata-se do Palácio da Justiça. Actualmente é a sede dos tribunais de justiça da Bélgica.
É possível visitar o seu interior, de forma gratuita. No entanto este encerra aos fins-de-semana, pelo que não tive essa oportunidade.

Já era tarde e a barriga estava a dar horas. Assim sendo almoçámos nesta zona, que é dotada de vários restaurantes e lojas.

Veja aqui como ir do aeroporto de Zaventem, em Bruxelas, para o centro

Continuámos então na descoberta por Bruxelas. A próxima paragem foi o Mont des Arts. Este é um dos melhores lugares para contemplar uma vista panorâmica da cidade.

O jardim está muito bem conservado e vale a pena passear (ou descansar um pouco) por aí. No lado direito do jardim encontramos o Carillon de Mont des Arts. O Carillon é um relógio construído em 1958, composto por 24 sinos e 12 estátuas que representam personagens importantes tanto na história como no folclore de Bruxelas.

Daí, fizemos uma caminhada até ao Centro Belga de Banda Desenhada. Era suposto visitarmos no dia anterior, mas não tivemos tempo. Para os verdadeiros amantes desta arte, o Centro Belga de Banda Desenhada é um local de paragem obrigatória. Cada sala é mais inspiradora que a outra. Veja aqui o post detalhado sobre este mundo dos quadradinhos.

Para terminar o roteiro do 2º dia em Bruxelas, fizemos uma caminhada um pouco mais longa para ver o Zinneke Pis. Já vos falei da estátua do menino a urinar (Manneken Pis) e também da menina (Jeanneke Pis). Para a família ficar completa só faltava mesmo a estátua do cão a urinar 🤣. O Zinneke Pis é então o terceiro membro da família Pis. No entanto, ao contrário dos outros membros da sua família, Zinneke não é uma fonte.

Criado em 1999 pelo escultor, Tom Frantzen, o cão simboliza a “natureza multicultural” e espírito humorístico da cidade.

Durante o dia, passeando pelas ruas, podemos ver os vários murais de banda desenhada. Veja este post sobre Banda Desenhada em Bruxelas para saber do que falo.

Este 2º dia em Bruxelas havia sido muito cansativo, pelo que decidimos jantar perto do nosso hotel e assim aproveitar para descansar as pernas 🙂 .

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto

Resumo do dia:

  • Manneken Pis
  • Catedral de São Miguel e Santa Gúdula
  • Parc de Brussels
  • Palácio Real de Bruxelas
  • Igreja de Saint Jacques sur Coudenberg
  • Igreja Notre Dame du Sablon
  • Palácio da Justiça
  • Mont des Arts
  • Carillon de Mont des Arts
  • Centro Belga de Banda Desenhada
  • Zinneke Pis

Consulte aqui o roteiro completo do e 3º dia em Bruxelas 🙂

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *