Tailândia

Roteiro: 1º dia em Bangkok

Roteiro: 1º dia em Bangkok

Normalmente, a cidade de Bangkok é a porta de entrada (e saída) para viajar pelo país dos sorrisos. Bangkok é uma cidade difícil de traduzir por palavras. Desde os arranha-céus coladinhos aos bairros típicos, ao trânsito caótico mas controlado, aos cheiros que primeiro se estranha e depois se entranha, aos (inúmeros) templos onde se respira tranquilidade… Diríamos que é uma cidade de emoções intensas, sendo que se ama ou se odeia!
Quando planeámos o nosso roteiro, reservámos 3 dias inteiros para Bangkok. Mas trocaram-nos as voltas e apenas conseguimos visitar a cidade durante dois dias. Para o post não ficar tão grande dividimos em duas partes: o 1º dia em Bangkok e o 2º dia em Bangkok.

Passo a explicar o que aconteceu: um dos nossos voos foi cancelado, sendo que só viajámos para Bangkok no dia seguinte, perdendo assim um dia nesta cidade. Para agravar ainda mais o panorama, extraviaram as nossas malas. É muito azar junto não é? Mas foi aqui que agradecemos a todos os anjinhos o facto de termos feito seguro de viagem! O dia perdido já ninguém nos dava, mas o dinheiro que gastámos em todas as compras de bens de primeira necessidade foi-nos devolvido na totalidade (guardem todos os talões e recibos). Como tal, super recomendamos os seguros da IATI. E mais uma vez reforçamos: não viajem sem um bom seguro de viagem!

Peripécias à parte, vamos lá ao que interessa – o nosso roteiro no 1º dia em Bangkok.

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto

Aterrámos em Bangkok por volta das 7h da manhã e fomos logo para o hotel. Ficámos alojados no Khaosan Green House Hotel que ressalvo que foram impecáveis em ajudar-nos a recuperar as nossas malas. Como o hotel se situava perto da Khaosan Road e precisávamos de comprar roupa e produtos de higiene (🙄), começámos por aí o nosso roteiro.

A Khaosan Road é uma rua, localizada no centro histórico de Bangkok, também conhecida pela rua dos mochileiros. É uma rua bastante badalada e vai ouvir falar dela com toda a certeza. Aqui encontra muitos hostels (baratos), bares, casas de massagem, restaurantes e comida de rua, lojas de roupa e todo o tipo de bugigangas, loja de conveniência (a mais conhecida é a 7 eleven), entre muitas outras coisas.

Mas é à noite que a Khaosan Road ganha vida. Os bares lutam para ver quem coloca a música mais alta, os letreiros néon quase nos cegam e não consegue dar dois passos seguidos devido à multidão. É uma área super turística, mas não pode mesmo deixar de ir lá. O nosso conselho é: vá durante o dia e à noite. Nem parece a mesma rua! E se vai em busca de festa, não procure mais, está no sítio certo 🙂

Depois deste choque cultural, que confesso, tirando o calor não foi nada difícil a adaptação, seguimos a pé até ao Lak Mueang, o primeiro pilar da cidade. Para demonstrar o poder, em cada cidade nova, erguia-se um pilar. Mais tarde construiriam este santuário, sendo uma zona de devoção. Aqui deu-se o nosso primeiro contacto com a religião budista. Tirámos os sapatos, como manda a regra, e percorremos o pequeno recinto a apreciar esta nova cultura.

Veja aqui como planear uma viagem à Tailândia por conta própria

Depois disso, seguimos o nosso roteiro até ao Grand Palace, um dos monumentos mais emblemáticos da cidade. O Palácio Real foi construído em 1782 e durante 150 anos foi a Residência Oficial da Realeza.

O complexo é enorme, com várias construções, pátios e jardins. E em cada passo que dá, o difícil vai ser contemplar tudo e todos os pormenores. Deixe-se viajar pelos detalhes arquitectónicos deste lugar – é de ficar de queixo caído.

Apesar das diferentes construções, a que mais se destaca é o Wat Phra Kaew, que é o Templo do Buda de Esmeralda, considerado o templo budista mais sagrado da Tailândia. Trata-se de um templo que abriga uma estátua do Buda, feita numa única pedra, construída com quartzo verde, com 66 cm de largura e 48 cm de altura. Aqui não é permitido tirar fotografias ao interior, mas posso dizer-vos que é bem bonito!

Dicas para visitar o Grand Palace
  • Manter o silêncio.
  • Estar com os ombros e joelhos cobertos. Não pode mostrar o decote nem a barriga, nem pode utilizar legging e roupas transparentes. São mesmo bastante rigorosos com o vestuário.
  • É obrigatório tirar os sapatos para entrar no templo.
  • Nunca aponte os pés para a imagem do Buda, já que é considerada a parte mais suja do corpo. Sente-se com as pernas para o lado ou para trás do corpo.
  • Se lhe disserem que o Grand Palace está fechado, confirme no site oficial. Este é um dos maiores golpes para o levarem a lojas onde depois recebem uma comissão.

O Grand Palace está aberto todos os dias das 8h30 às 15h30 e o bilhete custa 500 baht por pessoa. Se não for com o devido vestuário, saiba que pode fazer um empréstimo de roupa à entrada mediante a caução de 400 bath, devolvidos à saída.

Confira aqui todas as dicas para viajar para a Tailândia

O 1º dia em Bangkok já ia a meio e decidimos almoçar por essa zona. Perto do Grand Palace situa-se o Wat Pho, e foi para lá que nos dirigimos.

O Wat Pho é um dos maiores e mais antigos templos de Bangkok, também conhecido por Templo do Buda Reclinado. Possui a maior colecção de estátuas de Budas do país, sendo que a principal atracção é o Buda com 46m de comprimento por 15m de altura coberto por folhas de ouro. É realmente enorme!

Também a sua área envolvente é bem bonita. Não deixe de dar um passeio pelo complexo.

Cada bilhete custa 200 baht. Também aqui, como em todos os templos, mantêm-se as regras de vestuário e comportamento.

Daí fomos visitar um outro templo, o Wat Arun, que se localiza na outra margem do Rio Chau Phraya. Como tal, tem de se dirigir à margem do rio, perto do Wat Pho. Aqui vai encontrar o píer nº 8, ou Tha Tien, que é onde tem de comprar o bilhete de barco e onde vai embarcar. Cada bilhete custa 4 baht e o trajecto demora cerca de 5 minutos.

Faça aqui o seu Seguro de Viagem e obtenha 5% de desconto

O Wat Arun, também conhecido pelo Templo do Amanhecer foi construído no século 19 em estilo Khmer, ornamentado em porcelana e flores. A torre central do templo é a mais alta de Bangkok, contando com 82 metros de altura. À volta da torre principal, existem outras quatro torres que têm 60 metros de altura e todas estão ligadas por escadas e pátios. É super diferente dos outros templos, ainda assim é lindo de morrer!

Este templo simboliza o nascimento do Período Rattanakosin e a fundação de Bangkok como a nova capital do país, depois de Ayutthaya.

Cuidado quando estiver a subir os degraus, pois estes são pequenos e o pé deve ser colocado de forma lateral. Mas a vista compensa, e muito!

O bilhete de entrada no Wat Arun tem um custo de 50 baht e está aberto das 8h às 18h.

Veja aqui como ir do aeroporto de Bangkok para o centro

O sol já estava a pôr-se e decidimos regressar à Khaosan Road, novamente de barco. Pode consultar aqui todas as informações relativas aos barcos. Apesar de já lá termos estado de manhã, queríamos muito conhecer a realidade da noite e acabámos por jantar lá.
De facto, parecem duas ruas completamente distintas. Tem muito mais movimento e animação à noite.

Nesta rua há algumas barraquinhas a vender insectos para comer. Desde grilos, aranhas, larvas, escorpiões, etc. Os tailandeses não comem nada disto, atenção! Como é um país bastante turístico viram ali mais uma oportunidade de negócio. No entanto, e mesmo sabendo disso, nós decidimos comer um gafanhoto (cada um é 20 baht). Vejam o vídeo no nosso instagram 🤣. É crocante e salgado, nada de especial! O restante não tivemos coragem de experimentar!

Como estávamos bastante cansados neste 1º dia em Bangkok, decidimos ir descansar para o hotel. Ficámos alojados no Khaosan Green House Hotel, que se situa na rua paralela à Khaosan Road. Não aconselhamos ficar mesmo na Khaosan devido ao barulho à noite, pelo que a rua Rambuttri foi a nossa escolha. Ainda assim, ouve-se um pouco de barulho, mas nada de especial!

Roteiro do 1º dia em Bangkok:

  • Khaosan Road (de dia)
  • Lak Mueang
  • Grand Palace
  • Wat Pho
  • Wat Arun
  • Khaosan Road (de noite)
Espreite aqui o 2º dia em Bangkok

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *